13. ago, 2020

Condromalácea e uma nova vida

Condromalácea e o início de uma nova vida 

Imagine que em dado momento você sentiu desconforto e dor nos seus joelhos: pode pensar ser cansaço, sua rotina exaustiva de trabalho ou um "mau jeito", como costumamos falar. Mas fique atento! Pode ser a Condromalácia Patelar.

Este nome incomum de se ouvir em nosso cotidiano, se refere à um "amolecimento da cartilagem do joelho (patela)", em termos leigos.
Pessoas com esta condição precisam de acompanhamento médico e em casos extremos, medicação. Durante o acompanhamento, se faz necessário algumas mudanças de hábito, como: evitar uso de escadas e sapatos de salto alto, não manter as pernas dobradas ou cruzadas (podem agravar as crises de dor) e principalmente, CUIDAR DE SEU CORPO POR DENTRO E POR FORA!

Pessoas acima do peso geram maior impacto na região dos joelhos. Casos em que pessoas perderam até 10kg, reduziu-se aproximadamente 20% da dor ocasionada pela Condromalacia. O cuidado com a alimentação é um aliado indispensável! Além de contribuir para o tratamento de casos de condromalacia, ainda é um grande herói para doenças como hipertensão, obesidade, diabetes dentre outras. Os alimentos têm o poder de nos revigorar!

Uma alimentação balanceada e equilibrada para estes casos, é rica em alimentos que possuem ação antinflamatória e antioxidantes naturais com o consumo de alimentos integrais, frutas e vegetais: amoras, maçãs, peras, frutas citrus, groselhas, cebolas, brócolis, alcachofras, berinjelas, aspargos, alho, tomilho, orégano, manjericão, hortelã-pimenta pimenta preta e gengibre.

Quem dorme bem e faz uso de alimentação saudável terá menor incidência de dores e inchaços articulares, além dos efeitos condor-protetores, ligados a uma menor degradação da cartilagem.

Essa mudança alimentar auxilia e muito na melhora e podem antecipar o retorno gradual do indivíduo às suas atividades. Vale ressaltar que, apesar desse problema ser muito comum em atletas de esportes de grande impacto - como jogadores(as) de vôlei -, isso não significa que sejam estes os únicos propensos a desenvolver a doença!

Pessoas em sua 4° década de vida, principalmente as mulheres, possuem uma predisposição maior a desenvolver tanto pelo desgaste causado pelo envelhecimento da área quanto pelos fatores anatômicos neuromusculares e hormonais.

O sedentarismo está dentre as maiores causas, torna a região mais enrijecida e propensa a impactos e danos. A ausência de exercícios pode agravar e acelerar o processo degenerativo.

Esportes de baixo impacto como natação, deep-running e bicicleta, liberam enzimas anti-inflamatórias e até o uso de academias pode ser de grande ajuda!

É essencial a prática de atividades físicas (acompanhadas por profissionais qualificados que indicarão a forma correta de se realizar nestes casos), beneficiando o processo de recuperação e/ou proteção da cartilagem através do fortalecimento da região patelar.

Apesar de todo o transtorno causado pela condromalacia na rotina e estilo de vida das pessoas, não é o fim do mundo! Ele também pode ser um forte aliado e o pontapé inicial para um estilo de vida mais saudável e equilibrado, prevenindo tantas outras doenças e distúrbios que poderiam ser causados pela continuidade da vida corrida e sem tempo pra si mesmo que infelizmente levamos nos dias atuais.

Seu corpo é um templo, uma morada. Cuide bem dele!