22. jul, 2020

Aminoácidos.


São substâncias orgânicas que apresentam em sua constituição dois grupos funcionais diferentes: uma carboxila e um amino.
A união de dois ou mais α-aminoácidos leva à formação das proteínas, macromoléculas que apresentam diversas funções importantes para nosso organismo.

Existem 20 α-aminoácido comuns: alanina, arginina, glutamina, isoleucina, entre outros.
Desses aminoácidos, o organismo humano não consegue sintetizar (produzir) 9 deles: histidina, lisina, leucina, metionina, isoleucina, fenilalanina, treonina, triptofano e valina.
Por essa razão, eles são chamados de aminoácidos essenciais e devem ser obtidos obrigatoriamente na alimentação. Normalmente são encontrados em proteínas de origem animal, tais como em ovos, leite, queijo e carne. Também nos vegetais, soja, quinoa, chia, feijão, lentilha, brócolis, açaí, bananas, folhas verdes.

Aminoácidos são importantes para o nosso organismo porque participam da produção de células vermelhas do sangue, produção de anticorpos, produção de hormônios importantes, regeneração celular, promoção da sensação de saciedade no cérebro após a alimentação.

Já os outros 11 aminoácidos são produzidos pelo próprio organismo (Arginina, Ácido aspártico, Cisteína...) e são chamados de aminoácidos não essenciais. Aqueles que o organismo é capaz de sintetizar. Sendo obtidos através da dieta, pela ingestão de alimentos ricos em proteínas.


Os suplementos de aminoácidos (BCAA, creatina, glutamina, histidina, entre outros) são adequados apenas em determinadas situações, são seguros se consumidos na quantidade de até 30 gramas ao dia. Porém, o consumo em excesso de proteínas ou aminoácidos via suplementação mais de 3 gramas por quilo ao dia, pode ter efeitos negativos como danos renais, aumento de colesterol sanguíneo e desidratação.

Portanto, seja qual for sua dúvida procure ajuda profissional da sua nutricionista.

Carline Moesch