24. abr, 2015

Oi querido garoto!

Fiquei feliz mas muito feliz mesmo em saber que você lê meu blog,que delícia saber que já estou alcançando a leitura das crianças por aqui,isso é um grande presente pra mim.

Eu sei o que aconteceu com você pois sua mãe sempre me conta como você está e eu estou torcendo muito que você se recupere o mais rápido possível para estar competindo e ganhando muitas medalhas na luta que você tanto gosta de participar,meu super beijo e muita boa sorte,escreva quantas vezes quiser.

Beijão!

23. abr, 2015

Hoje vi também um post de uma amiga do grupo do face abordando e questionando sobre calças jeans ou calças apertadas.

Respondi no grupo que evito usar calças jeans ou apertadas para não sentir um desconforto maior,ano passado durante o auge da minha lesão que foi no verão,usava bermuda mesmo aparecendo a cicatriz que no meu joelho ficou,só quem a tem sabe como fica.

Quando o outono chegou eu usava calças de malha folgadas para poder levantá-las e fazer minhas compressas de gelo e no inverno utilizei calças de moletons grossas bem largas para poder ficar com o protetor do joelho por baixo e ou então aquelas calças aflenaladas por dentro de agasalhos tipo jogadores de futebol,marcas de esporte.

Voltou o verão e voltei a usar as bermudas e para a academia as bermudas próprias para as aulas,assim são minhas roupas.

Mas nada apertado,tudo largo sempre.

23. abr, 2015

Hoje pela manhã também vi o comentário de uma querida amiga do grupo falando estar indiganada .

Ela foi parar no hospital com dores intensas em decorrência da lesão e o médico que a atendeu disse que ela não poderia ter ido parar em uma unidade de pronto atendimento,ou emergência.

Segundo ela o médico disse que  "Condropatia" não é caracterizado atendimento de urgência. Mas que iria dar um remédio para tirar a dor."

Quero dizer que condropatia é doença sim! é uma lesão grave e todos nós seres humanos somos dotados de: corpo físico,mente e alma.

Todos merecemos ser tratrados com dignidade e respeito em qualquer plantão médico.

Quem sofre essa dor ,sabe o "tamanho" que ela tem e se fomos parar em uma emergência com certeza é porque precisamos,ninguém vai para um pronto socorro à toa.

Não sei quem foi esse "ser podre" que atendeu minha amiga,também não interessa saber, o fato é que aconteceu algo que jamais poderia ter acontecido com ninguém.

Ele ainda  disse a ela,que ela já nasceu com essa doença e que deveria já saber que remédios deveria tomar.

.

Felizmente eu tive muita sorte quando fui parar no hospital com dores intensas,o médico que me atendeu viu meu desespero e me atendeu maravilhosamente bem e jamais questionou eu estar lá por ser apenas uma "condropatia" .

Já passamos por uma doença física,nosso lado emocional fica extremamente abalado ainda vamos pedir socorro e somos tratados dessa forma apavorante? o que é isso? falta de sensibilidade? ou pessoas completamente despreparadas para atender um ser humano sofrendo

É de ficar estarrecida com tamanha "monstruosidade" espero que ninguém mais passe por uma situação assim.

Que essa realmente seja a última vez que eu saiba que  pessoas foram  maltratadas dessa forma por pedir socorro em qualquer lugar que seja.

 

 

 

23. abr, 2015

Cara amiga Solange:

Que legal vê-la participando do meu blog novamente,fiquei muito feliz.

Muito bem,o que aconteceu com você em sua viagem eu imaginei que fosse ocorrer comigo se eu fosse para a praia nos feriados do carnaval.

Mesmo recuperada e bem,resolvi deixar de fazer longas viagens de carro,penso que em situações normais,ficar muito tempo com as pernas dobradas já incomoda ,imagina quem sofre da nossa lesão.

Eu digo que nossa lesão é cruel,não mata mas deixa limitações e somos obrigadas a conviver com elas.

Faço de tudo para ficar o melhor possível e se isso significa, privação de algumas coisas que se forem necessárias como deixar de viajar e viver de outra forma,queassim seja,mesmo bem recuperada continuo levar minha vida na base do "todo o cuidado é pouco" sem cometer abusos e dormindo e descansando cedo.

Penso que não adianta tomarmos remédio,fazermos fisio,acupuntura e utilizarmos todos os recursos,se continuemos abusando do que pode nos prejudicar.

Acredito também que para você viajar e ter perdido passeios em decorrência de  sua lesão deve ter sido frustrante,conviver com ela  exige acima de tudo muita paciência e acima de tudo bom senso.

Desejo sinceramente que você melhore o mais breve possível para continuar fazendo suas viagens e aproveitando a vida como você gosta.

Quanto aos alongamentos que você me perguntou eu faço apenas dois alongamentos: um com a faixa azul de borracha e outro sem,mas como não sei sua real situação,não posso me atraver a passar o alongamento para você, com risco de agravar mais sua lesão,sou formada em educação física e sou prudente a não prescrever exercícios ,preciso respeitar a ética profissional e acima de tudo você como ser humano,digo que temos quatro graus dela,cada grau é diferente e cada um de nós responde a um certo estímulo de forma individualizada.

Coloco meus treinos aqui sem séries e repetições para que ninguém faça uso deles emeus treinos são programados especialmente para mim.

Aconselho que procure um profissional capacitado para acompanhar teus treinamentos e sua recuperação.

Meus sinceros votos de melhoras!

Grande abraço!

 

 

 

22. abr, 2015

Recebi essa semana,via inbox do meu face algumas perguntas sobre o clima frio se interfere na minha lesão ou não.

Respondo a todos que por enquanto não,ano passado quando ela ainda estava em uma forma muito aguda sim,mesmo porque as dores só desapareceram definitivamente no mês de setembro,então passei o inverno todo sentindo dores.

Em razão de apenas ontem e hoje a mudança de temperatura e a umidade aparecerem com maior intensidade ainda não senti diferença,mas vou começar a observar.Principalmente meus leitores do sul do país que sofre com as baixas temperaturas já está sofrendo com dores intensas.Vale sempre a dica: não fazer nada absolutamente nada sem ordem de seus médicos e fisioterapeutas.Todo o cuidado é pouco,cada caso é um caso e não temos como controlar os efeitos colaterais de algo feito sem aconselhamento médico.É o que eu posso aconselhar,todo o cuidado é pouco.